custos-variaveis

Custos variáveis de uma imobiliária

Para que a imobiliária seja bem gerenciada, é essencial fazer um bom controle financeiro. Parte deste controle depende do cálculo das despesas mensais. Para isso, é preciso considerar os custos fixos e variáveis necessários para que o negócio funcione. Entre os custos fixos estão o aluguel do local em que a imobiliária está estabelecida, salário dos funcionários, entre outros. Mas e os custos variáveis? Você sabe quais são eles?

Além de esta ser uma informação importante para um correto cálculo das despesas do negócio, a previsão das despesas variáveis é uma parte considerável da equação que calcula a margem de lucro (total recebido – despesas fixas e variáveis da imobiliária). Saiba mais sobre os custos variáveis envolvidos na venda de imóveis:

Quais são os custos variáveis de uma imobiliária

Para entender quais são os custos variáveis, é importante saber quais são os custos fixos. São considerados fixos todos os gastos que não são afetados, ou que são pouco influenciados, pelo número de vendas realizadas no mês. O aluguel da sala comercial em que a imobiliária está estabelecida, por exemplo, não altera se forem feitas muitas ou poucas vendas, certo? Assim, este é considerado um custo fixo. O mesmo vale para a conta de luz, de telefone, para o IPTU e para o salário dos funcionários.

Já os custos variáveis são aqueles que se alteram de acordo com o número de negócios fechados. Podemos citar aqui a comissão ganha pelos corretores. Se em períodos em que as vendas são maiores, é necessário contratar mais profissionais de vendas, este também pode ser considerado um custo variável – uma vez que só existe quando há muitas vendas.

Se existem gastos com marketing, com advogados ou com documentação diretamente ligados à venda dos imóveis, todas estas são despesas que devem ser consideradas variáveis.

Como gerenciar os custos variáveis da imobiliária

Para garantir a saúde financeira do negócio, é importante manter todas as despesas sob controle. Dividir as despesas fixas e variáveis e monitorar como elas oscilam a cada período de tempo. Também é preciso avaliar como os custos variáveis interferem na margem de lucro da empresa, para garantir que eles não prejudiquem o negócio.

Os custos variáveis também devem ser considerados na hora de definir a comissão ganha pela imobiliária em cada negócio fechado. Afinal, a comissão deve ser suficiente para cobrir parte dos custos fixos, os custos variáveis, como a comissão do corretor, e ainda deve sobrar dinheiro suficiente para garantir que a imobiliária seja um negócio lucrativo.

Em paralelo existe o desafio constante da redução de custos em uma imobiliária. Este passa por rever processos e aderir a tecnologias que otimizem o dia a dia da imobiliária. Para ter maiores detalhes de como trabalhar a redução de custos, acesse aqui.

O uso de planilhas ou softwares de controle financeiro são uma boa maneira de manter os custos variáveis visíveis, sob controle. Quanto mais precisos forem os dados registrados, melhor para o gerenciamento financeiro da empresa. Gráficos e relatórios também são importantes para que a diretoria tenha um melhor panorama sobre as finanças e os custos da empresa, algo que garante melhores escolhas na gestão da imobiliária. Softwares online de gestão financeira como o ContaAzul, Nibo, Granatum, QuickbooksBling, ajudam muito nessa tarefa. Existem também softwares específicos para imobiliárias que incluem o controle financeiro além de diversos outros recursos, como gestão de contratos de aluguéis, integração com portais de anúncio de imóveis, etc. Conheça um pouco mais sobre ERPs para imobiliárias neste post.

Como é feito o controle dos custos fixos e variáveis na sua imobiliária? Compartilhe a sua experiência em gestão financeira nos comentários!